sábado, 3 de setembro de 2011

A volta ao mundo em oitenta dias (Júlio Verne)


Fíleas Fogg era um inglês muito metido consigo mesmo. Só saia de casa para ir ao Clube Reformador, o que fazia diariamente, sempre no mesmo horário. Ele vivia matematicamente: fazia as mesmas coisas nos mesmos horários todos os dias, seus passos eram contados e suas roupas e sapatos, catalogados. Certo dia, na mesma época que havia ocorrido um furto ao Banco da Inglaterra, ele e seus poucos amigos estavam conversando sobre em quanto tempo era possível dar a volta ao mundo. Certa polêmica é gerada quando Fogg afirma que é possível fazê-lo em 80 dias, então, com sua impassibilidade do costume, aposta vinte mil libras que alcançaria a façanha. Feita a aposta, partiu de Londres no dia 2 de outubro de 1872 às 8:45 p.m., e teria que estar de volta no dia 21 de dezembro, no mesmo horário. Foi acompanhado pelo seu criado, Fura-Vidas. Para seu azar, ele se parecia com o assaltante que roubara o Banco da Inglaterra e passou a ser perseguido pelo detetive Fix. A primeira providência deste foi pedir o mandato de prisão e se tornar amigo de Fura-Vidas, que, por ser francês (esta era a justificativa do livro), poderia entregar o amo sem querer. Fura-Vidas revela a Fiz a intenção de Fogg de fazer a volta ao mundo em 80 dias. O detetive, alucinado pela ideia de prender o ladrão, pensa que isto está sendo feito para despistar a polícia. Na travessia do Mar Vermelho e do Oceano Índico, Fílieas alcança dois dias de vantagem. Ao chegar na Índia, Fura-Vidas vai passear e entra num lugar proibido: o pagode do Monte Malebar. Neste pagode eram proibidos cristãos e pessoas calçadas. O francês cometeu as duas inflações e foi perseguido por três sacerdotes. Saiu são e salvo, mas perdeu as botas. Eles se encontravam em Bombaim e partiram de trem em direção a Calcutá, porém, no meio da viagem, acabaram os trilhos e os viajantes tinham que encontrar algum meio de transporte até a estação de Kardallah, onde continuavam os trilhos. O de Fíleas Fogg foi um elefante que lhe custara duas mil libras. Durante a viagem a elefante, os viajantes ouvem um barulho e se escondem. Era um sutty, um ritual que consistia em, quando um homem morre, sua mulher devia ser queimada junto com seu cadáver. Fogg decide salvar a pobre viúva, que vivia um casamento infeliz. Ele consegue com a ajuda de Fura-Vidas, que colocou-se no lugar do cadáver e, na hora do sacrifício, levanta-se, pega a mulher dopada nos braços e foge, pois todos estavam muito surpresos para reagir àquela situação e, quando caem em si, os salvadores já estão relativamente longe. Graças a esses acontecimentos, Fíleas Fogg perdeu a vantagem de dois dias que obtivera. Quando a moça voltou a si, os viajantes já estavam no trem, sem o elefante, pois Fogg o dera ao guia que tão fielmente os conduziu pela floresta e arriscou sua vida no salvamento de Aouda. Sim, Aouda! Este era o nome da viúva que, como veio a revelar depois, deveria ficar em Hong Kong, onde tinha um parente. Enfim, chegaram a Calcutá. Foi nesta cidade que, a conselho de Fix, os três sacerdotes do pagode de Malebar deram queixa de Fura-Vidas. A acusação era a inflação das leis daquele lugar, mas o impassível inglês pagou uma fiança de duas mil libras e se dirigiu para Hong Kong com seu criado e Aouda. Ao chegarem lá, descobrem que o parente de Aouda se mudou para a Europa, então Fogg decide que ela irá para Londres com ele. Sendo assim, Fura-Vidas reservou três camarotes para Yokohama no navio Carnatic. O criado, ao voltar para o hotel, encontra-se com Fix, que o convida para beber algo. Fura-Vidas pensa que Fix é um espião enviado pelo sócios do Clube Reformador, mas o detetive pensa que ele sabe a verdade e acaba revelando-a. Para que Fogg não a saiba também, embebeda o francês, que não pode avisar ao amo que o navio sairia naquela noite, e não no dia seguinte, como Fíleas pensava. Quando o criado acordou, foi atrás do navio e conseguiu chegar a tempo da partida, mas seu amo não estava lá. Chegando a Yokohama, Fura-Vidas entra para uma equipe de palhaços, pois ela iria para os EUA. Na primeira apresentação de Fura-Vidas, ele avista seu amo na platéia. Fogg alugara, em Hong Kong, um hiate chamado Tancadera, que o levou para Xangai, onde o navio com destino a São Francisco realmente partiria. Yokohama era apenas uma escala. Fogg, chegando ali foi procurar o criado e entrou no circo por acaso. Chegando em São Francisco, os viajantes vão passear pela cidade e Fogg se mete numa querela com um tal Proctor por causa de um comício político. No trem para Nova York, Fíleas encontra-se com seu inimigo e eles vão brigar no último vagão, porém o trem é invadido por índios e eles vão lutar contra os nativos. O trem se desgoverna e Fura-Vidas consegue separar a locomotiva dos vagões, salvando os passageiros. Porém ele é sequestrado pelos índios. Fogg salva o criado, mas perde o trem, então vai de trenó à vela para a estação mais próxima. Os viajantes partem para Nova York, porém, chegando lá, perdem o navio China que ia para Liverpool. No dia seguinte, partiu rumo a Bordéus no Barvo Henriqueta, pois o capitão não queria deixá-lo em Liverpool, mas, durante a viagem, Fogg trancou o capitão em seu compartimento, roubando o barco. Faltando alguns dias para chegarem a Liverpool, o combustível acaba, então eles queimam as partes de madeira do Henriqueta. Chegando a Liverpool, Fogg dá a casca do barco ao capitão, acalmando-o. Na cidade, Fix, que os seguiu, prende Fíleas, mas descobre que o verdadeiro ladrão tinha sido preso, mas por causa disto, Fogg perde o trem para Londres e freta um especial. Ao chegar na cidade, eram 8:50 p.m. Perdera a aposta por causa de cinco minutos! Vai para casa e no dia seguinte não vai ao Clube Reformador, porém decide se casar com Aouda. Fura-Vidas vai marcar o casamento e descobre que aquele dia é dia 21 de dezembro. Quando o criado chega em casa para avisar ao amo do ocorrido, eram 8:35 p.m. Vão às pressas ao Clube Reformador e Fogg chega pontualmente às 8:45 p.m. Isto ocorreu por causa do fuso horário. Fíleas ganhara um dia de vantagem sem perceber. Casou-se com Aouda e Fura-Vidas foi sua testemunha.