domingo, 17 de março de 2013

Frankestein (Mary Shelley)


O livro Frankenstein: Robert Walton escrevia para sua Irmã, Margaret, detalhando suas aventuras e explorações ao Polo Norte. Em um certo ponto, seu navio é cercado pelo gelo, impossibilitando a continuação da viagem. Nesse período, os marinheiros avistaram, em um trenó, uma criatura gigantesca rumando para o norte.

Na manhã seguinte, Naquele universo de gelo e névoas, Walton salvara da morte um homem chamado Victor Frankenstein que estava a flutuando em uma placa de gelo, quase morto.

Depois de alguns dias de repouso no navio, alternando estados de insanidade, melancolia, doçura e profundo conhecimento da vida, quando Victor Frankenstein conta sua história, é por meio das cartas de Walton a Margareth que se têm início a narrativa da saga de Victor Frankenstein.

Victor conta como foi sua vida e relata como a sua amada, Elizabeth, entrou para sua família; como era interessado em descobrir a origem das coisas; a morte de sua mãe e o desejo que ela tinha em que Victor e Elizabeth se casassem.

Victor Frankenstein era um rapaz inteligente desde criança. Ele tinha paixão por ciências naturais e estudava tudo sobre o assunto. Victor vai para Universidade de Ingolstadt estudar medicina, onde divide moradia com seu amigo. Depois de muitos anos de estudo, ele resolveu que queria fazer algo que fosse memorável para a humanidade, algo nunca feito antes: construir um ser humano sem utilizar esperma ou óvulos. Para muitos, isso era um sonho impossível, mas não para Victor, ele tinha uma enorme ânsia e vontade para com isso. Durante meses vasculhou cemitérios recolhendo órgãos para realizar sua façanha.

Durante todo o seu projeto, ele afastou-se completamente de sua vida social; família e amigos não tiveram qualquer importância. Após aproximadamente dois anos de um trabalho árduo, Victor finalmente conclui sua criatura (com partes de cadáveres, um ser gigantesco e lhe dá vida), mas assim que ela acorda, ele se assusta com o monstro que criou. Quando a criatura abre os olhos e respira, Victor percebe que infundiu vida em um ser que lhe causava terror e repulsa.

Victor então cai em um sono repleto de pesadelos, ao despertar, vê a face horrenda da Criatura, sai correndo desesperadamente pela noite chuvosa e só pára quando encontra, descendo de uma carruagem, o amigo de infância, Henry Clerval que veio estudar em Ingolstadt.

Eles vão à casa de Victor, que fica tão feliz em não encontrar a criatura que desmaia, ficando desacordado durante alguns meses e tendo Henry como enfermeiro. Ao ter a saúde restabelecida, Victor começa a estudar Literatura junto com Henry.

A criatura não recebeu nenhum nome, perdendo qualquer possibilidade de se humanizar socialmente, pois não tem ninguém para adequá-lo socialmente. Então ela (a criatura) resolve desaparecer e ir para a floresta. Ali, aprimorou seus sentidos e aprendeu algumas coisas. Devido a escassez de comida, refugiou-se sob uma cabana. Nesse lugar a criatura observou o comportamento de seus moradores. Uma família composta por um velho cego de nome De Lacey e seus filhos Felix e Aghata. Eles viviam em Paris e tiveram seus bens confiscados porque Felix ajudou um comerciante turco a fugir da prisão. O turco, em gratidão, prometeu a mão da filha Safie a Felix. Como ela não sabia falar a língua inglesa, Felix começa a ensinar-lhe esse idioma. A criatura assiste essas aulas e aprende a falar.

Depois, a criatura encontra uma pasta com alguns livros e toma conhecimento da leitura e escrita. Nessa época, ela encontra, entre as roupas, o diário de Victor, onde descobre sua origem e seu criador e passa a odiá-lo. Logo após a criatura decide falar com o senhor da família que vinha observando, dizer que o amava e que queria ter uma família para chamar de sua. O velho se assusta, mas não consegue vê-lo, pois era cego. Porém, ao chegarem em casa, seus filhos vêem aquela cena estranha e acuam o monstro para fora da casa devido à sua tamanha feiúra.

Sentindo-se rejeitado, até mesmo por seu criador,  a criatura vai embora do celeiro para começar a matar os entes queridos de Victor, para que assim ele sinta a mesma dor que ele sentia por não ter uma família. O primeiro a ser atacado pelo monstro foi William, o irmão mais novo de Victor.

Um dia, Victor recebe a notícia de que Willian, seu irmão mais novo, estava morto. Ele retorna imediatamente a Genebra (sua terra natal) para velar o irmão falecido e visita o lugar onde seu irmão foi morto. Lá, vê a criatura e logo deduz que ela era a responsável pela morte de Willian. A criatura após matar Willian viu perto dali Justine, uma criada muito querida da casa dos Frankenstein, e que esta estava dormindo. Então a criatura colocou a jóia que estava com Willian em Justine, incriminando-a.

Ao chegar em casa, Victor é informado que Justine é acusada do crime, sendo encontrada com ela a jóia que o menino levava antes de desaparecer. Mesmo assim Victor está convencido de que Justine é inocente, e o verdadeiro culpado é a sua criatura. Porém as evidências contra ela são fortes e Justine é condenada a morte e executada pelo crime. Victor Frankenstein passa a se sentir culpado por ter criado o monstro, então o segredo e a culpa passaram a lhe torturar.

Melancólico, com a morte de Justine, Victor vai passear pelas montanhas e encontra a criatura  mais diferente ainda, pois estava muito mais articulada do que quando Victor a abandonou. A criatura diz a Victor que pretende sair da vida dele  e de todos os seres humanos, porém com uma única condição: que ele crie uma fêmea para lhe fazer companhia.

Victor concorda com essa idéia e retornando à sua família, ele encontra Elizabeth, uma amiga de infância a qual sempre amou e a pede em casamento. Logo após, viaja para  a Inglaterra para construir a nova criatura e logo após construí-la Victor percebe que está cometendo outro erro, com isso ele a destrói antes de lhe dar vida. Isso desperta a ira vingativa do monstro que mata Henry e promete estar presente na noite de núpcias de Victor.

Victor abandona a ilha e chegando na Irlanda é acusado da morte de seu amigo Henry. Ao ver o corpo, desespera-se e cai em um profundo coma. Após recuperar a saúde Victor é absolvido das acusações e retorna a Genebra decidido a casar-se com Elizabeth. Após o casamento, o casal segue para sua noite de núpcias. Victor arma-se e aguarda que a criatura venha ao seu encontro. Então, de repente, ouve-se um grito terrível e Victor encontra  Elizabeth  morta no leito nupcial. Através das vidraças, Victor  vê a figura sinistra da criatura que some no lago.

* No filme, Victor tenta reconstruir a noiva mas ela revive com a mesma aparência horripilante da criatura. E ambos (Victor e a criatura disputam por Elizabeth), esta então, nervosa com os dois, acaba por atear fogo em si mesma e morre novamente.

Movido pela vingança, Victor passa a perseguir a criatura por várias partes do mundo. Essa perseguição só acaba quando fica preso em um bloco de gelo no mar e é salvo por Robert Walton.

Assim termina a narrativa de Victor Frankenstein.

O que segue foi descrito por Robert Walton. Várias vezes Robert tentou arrancar de Victor informações sobre a criação do Monstro, mas ele negou a dar informação. A saúde de Victor foi piorando a cada dia até culminar com a sua morte. Na noite em que isso ocorreu, Robert entra na cabine onde estava o corpo de seu amigo e surpreendentemente depara-se com a criatura chorando debruçada sobre o cadáver. A criatura promete continuar seguindo ao Norte  e de lá não voltar mais, dando paz a todos os seres humanos. Dizendo isso, a criatura salta em uma jangada e desaparece na escuridão infinita.