domingo, 3 de maio de 2015

A filha (Aghata Christie)


"A Filha" é mais um daqueles seis romances que Agatha publicou usando nome fictício. Tem como protagonistas Ann Prentice, uma típica mãe apaixonada pela filha, e esta, de nome Sarah. 

Durante a ausência da filha, Ann conhece Richard Cauldfield, que lhe pede em casamento. Mas quando retorna, Sarah desaprova a ideia e tomada de ciúmes, faz o possível para separá-los. Depois de inúmeras e insuportáveis discussões entre padrasto e enteada, Ann é obrigada a optar entre a filha e o namorado e fica ao lado de Sarah, quando jamais quis afastar-se de Richard. 

Quando Sarah também perde contato com seu namorado, decide-se que uma profunda mudança deve ser operada na residência das Prentices. Mãe e filha passam a frequentar os mesmos lugares e fazer as mesmas coisas. É então que Sarah conhece o rico e nada-feio - porém de muito má reputação - Lawrence Steene, com quem casa-se mais tarde, "a conselho de Ann". 

Mas tanto Ann quanto Sarah, a despeito de tantas mudanças, são infelizes. Abre-se entre elas um abismo que as afasta cada vez mais, sobretudo após uma discussão sobre o péssimo andamento do casamento de Sarah e o estado deplorável em que a saúde dela se encontra. A discussão as deixa brigadas e ainda mais distanciadas. 

Mas só para quem é filha, entende o drama da mãe, e para quem é mãe entende o drama da filha, e para quem assiste ao drama, se sente Dame Laura, a personagem que sabe tudo, não quer opinar, pois parece ser um cientista assistindo pelo microscópio o drama alheio... 

O egoísmo do ser humano é retratado com dureza, e assim percebemos o quanto falta de diálogo entre pais e filhos e o quanto as pessoas "perdem tempo" em busca de uma felicidade fora de si...