domingo, 22 de novembro de 2015

Alves e Cia (Eça de Queirós)


Alves e Cia. é a firma da qual são sócios Machado e Alves e o título deste "pequeno romance" sobre o adultério e suas consequências.

Quando no dia do Aniversário de Ludovina, esposa de Godofredo (Alves), este a surpreende abraçada a Machado, assim começa a história. Alves perturbado com a surpresa, se retira e Machado foge da sala.

Alves expulsa “Lulu” para a casa do pai (que recebe a notícia feliz com a pensão que receberá junto) e decide que ele e Machado tirarão na sorte quem se suicidaria. Posto que Machado e as testemunhas achem isto ridículo, vai-se decidindo por um duelo de pistolas, logo por um de espadas (porque "não foi tão sério"), e logo por nenhum duelo.

Ludovina viaja com o pai e volta mais tarde. Machado volta a trabalhar num clima seco e frio onde antes havia dois grandes amigos. Já nessa época Alves quer a reconciliação.

O tempo vai passando, Alves se reconcilia com Ludovina e sua amizade com Machado renasce. A firma prospera, Machado se casa, enviúva, se casa novamente.

Ao final de 30 anos, os três são felizes e ainda muito unidos, mas nunca esquecem o episódio lamentável em que se envolveram; Alves sente-se feliz que não se precipitara por um final infeliz!